Curt’Arruda em Família 2020 


Auditório Municipal – 17 e 18 de outubro, sáb e dom, 11h30

Em parceria com:

O IndieJúnior é uma secção fundamental do IndieLisboa dedicada aos espectadores mais novos. O IndieJúnior visa contribuir para a formação estético-cultural de crianças e jovens através de uma experiência artística e lúdica diferenciada do seu habitual consumo de imagens em movimento, seja na televisão ou no circuito de cinema comercial. A programação de filmes é complementada por um conjunto de oficinas, actividades culturais e espaços de criação pensados para os mais pequenos e suas famílias.

A Bando à Parte é uma empresa de produção cinematográfica que produz longas e curtas metragens de ficção, documentários cinematográficos, bem como curtas e longas de animação. Tem como principal objectivo funcionar como um colectivo de realizadores que se dividem entre a imagem real e o estúdio de animação. Tem tido os seus filmes estreados e premiados nos principais festivais de cinema do mundo, como Cannes, Veneza, Berlim, Locarno, Roterdão, Karlovy Vary, Clermont Ferrand ou Annecy. Altamente vocacionada para co-produções internacionais, tem produzido filmes com Alemanha, França, Inglaterra, Finlândia, Brasil, Argentina, Estados Unidos e Japão.

Sessão COM OS PÉS NA NATUREZA – IndieJúnior


Auditório Municipal – 17 de outubro, 11h30 (+5 anos)

OS CINCO DESAJUSTADOS – Célia Rivière, França, ani, 2019, 4’

Era uma vez cinco desajustados. O primeiro estava cheio de buracos. O segundo todo dobrado em dois, como uma carta. O terceiro era mole e dormia sem parar. O quarto era ao contrário, mãos no chão e pés no ar. E o quinto não se aproveitava nada, uma bola bizarra.

A SELVA DE BETÃO – Marie Urbánková, República Checa, ani, 2019, 8’

Às vezes parece que nada de muito interessante acontece na nossa casa, mas, quando menos esperamos, a aventura começa

PRINCE KI-KI-DO: EM FUGA Grega Mastnak, Eslovénia, ani, 2019, 5’

O príncipe pintainho Ki-Ki-Do vive no cimo da sua torre de pedra na floresta negra. Ele é pequeno como Calimero, mas forte como Hércules. Quando a floresta está em perigo, lá vai ele ajudar, com os seus companheiros, os mosquitos tigre, Tine e Bine.

UM LINCE NA CIDADE – Nina Bisiarina, França/Suíça, ani., 2019, 7’

Era uma vez um lince curioso que deixa a floresta, atraído pelas luzes da cidade. Nessa noite diverte-se muito, até que adormece num parque de estacionamento. No dia seguinte, coberto de neve, os habitantes ficam surpresos por encontrar uma criatura tão estranha.

A FOLHA – Aliona Baranova, República Checa, ani, 2020, 6’

Um forte marinheiro recebe uma folha de Outono de uma menina. Isso lembra-lhe a sua casa. Tanto tempo desde que partiu, as saudades são muitas. O marinheiro apressa-se a regressar e ver os seus velhos pais. O que irá encontrar?

O HUGO E O HOLGER – Teddy Halkier Kristiansen, Dinamarca, ani, 2019, 14’

Hugo sempre quis ter um cãozinho. Um dia conhece Holger e o seu sonho concretiza-se. Mas afinal Holger não é um cão mas sim um elefante bebé. Um filme sobre a amizade e sobre o mundo de brincadeira e descoberta através dos olhos de uma criança.

QUANTO PESA UMA NUVEM? – Nina Bisyarina, Rússia, ani, 2019, 6’

Um cientista está ocupado a observar as nuvens. Conta quantas são, mede a distância destas ao solo, pesa a água de que elas são feitas. Mas de repente tudo muda, quando surge uma nuvem que não corresponde àquilo que registou.

O Bando à Parte no Curt’Arruda


Auditório Municipal – 18 de outubro, 11h30 (+8 anos)

DAS GAVETAS NASCEM SONS – Vitor Hugo, Portugal, 2017, ani, 7’

Inicialmente era um objecto/instrumento sonoro colectivo muito especial com 42 gavetas, caixas e outras peças de imobiliário que gerou som… mecânico, continuo, aleatório, suave, ruído ou misterioso. E desse som nasceram imagens através de um exercício de procura de sincronismo sem nunca nos perdermos pelos corredores das memórias guardadas nas gavetas.

TRÊS SEMANAS EM DEZEMBRO – Laura Gonçalves, Portugal, ani, 2013, 6’

É uma história pessoal que enaltece os laços familiares, utilizando o sketchbook e a família como referência, este filme segue um formato diarístico, mostrando diversas situaçoes e eventos que fazem parte da cultura e rotina em Belmonte, durante a época do Natal.

AGOURO – David Doutel e Vasco Sá, Portugal – França, 2018, ani, 15′

Um inverno rigoroso congela a superfície de um rio junto à casa onde vivem dois primos. Tadeu, pastor de um boi que lhe traz sustento, e Emídio, incapaz e dependente. Envolta no vento gelado que se levanta naquele dia, a rudeza da relação entre os dois cresce, atingindo o limite. Sobre a superfície dura do rio, Tadeu é desafiado a escolher salvar o boi, ou o primo que o tolhe. No quebrar do gelo, Tadeu emerge da água com as dúvidas de quem escolheu o caminho mais difícil. Sacrificar o boi.

PURPLE BOY – Alexandre Siqueira, Portugal, França, Bélgica, 2019, ani, 14’

Após um estranho e misterioso evento, Grão nasce na horta, emergido da terra, como se fosse uma planta. Para Razina é um menino, e a criança é educada assim. Durante 17 anos Grão cresce, preso à horta. Um dia, Grão, já adulto, sai da terra e descobre o seu corpo. Será ele capaz de encontrar a paz interior partilhando um género biológico que não corresponde a sua identidade?

4/dAAUoZR4fmSg85ZKrk8M70EOvQOg0yxF0W3HL4YjUm22rQ-pmEIxwYE