Curt’Arruda em Família


Auditório Municipal – 13 e 14 de outubro, sáb e dom, 11h30

FAMÍLIAS

Sessão para os mais jovens


A GRUTA DE DARWIN – Joana Toste, Portugal 2017, ani, 13’ | 13 de outubro, sáb, 11h30

“A transmissão de conhecimentos entre mães e filhas é o enorme abraço dado pela memória de uma experiência que passa o testemunho e dá o profundo sentimento que nos permite dar passos em frente, viver e amar.”

EM MEMÓRIA – Amit Miretzky, Israel, 2018, ani, 3’ | 13 de outubro, sáb, 11h30

“O meu pai está a ficar velho. Não consigo imaginar como vais ser a vida sem ele. Este filme explora a experiência de três pessoas que perderam um parente.”

LUGAR EM PARTE NENHUMA – Bárbara de Oliveira e João Rodrigues, Portugal, ani, doc, 6’ | 13 de outubro, sáb, 11h30

“Até que um dia… quando foi disparado o primeiro tiro, tivemos que abandonar as nossas residências.” – Ema em 1975 estava à espera da chegada do seu primeiro filho, em Angola. No entanto a sua espera tranquila foi abruptamente interrompida por uma força que a retirou do seu conforto e mudou a sua vida para sempre.”

MÃOS FRIAS CORAÇÃO QUENTE – Pedro Caldeira e Paulo Graça, Portugal, 2017, fic, 6’ | 13 de outubro, sáb, 11h30

“Um carteirista ajuda um “amigo” a sentir-se vivo.”

ONDAS – Vojtěch Domlátil, Républica Checa, 2017, exp, | 13 de outubro, sáb, 11h30

“Um observador de mente aberta, reduz os seus meios para trabalhar somente com o tempo e o espaço. Desta forma atinge um climax visual muito específico. A ele junta-se “a onda” que o absorve por completo no seu caminho.”

VISTA DO VAZIO – Ali Zare Ghanatnowi, Irão, 2017, ani, 18’ | 13 de outubro, sáb, 11h30

“A mãe fica de olho no filho e espera que ele volte da guerra. Tricota um par de luvas lembrando-se de como o filho esfregava as mãos geladas na manhã de inverno em que partiu. A mãe espera. Desfaz as luvas e volta a tricotar outra vez. Quando a sua casa é bombardeada, as luvas queimam-se e desfazem-se em cinzas. A mãe senta-se no topo dos escombros e começa a fazer algo de inesperado.”

A MONSTRA no Curt’Arruda


A CASINHA DO OURIÇO – Eva Cvijanovic, Croácia, 2017, ani. 10’ | 14 de outubro, dom, 11h30

“Numa floresta exuberante e cheia de vida, vive um ouriço outrora respeitado e invejado pelos outros animais. Contudo, a sua devoção inquebrável para com o seu lar irrita um quarteto de bestas mesquinhas: uma raposa astuta, um lobo furioso, um urso glutão e um javali enlameado. Juntos, marcham em direção da casa do ouriço para ver o que há de tão precioso neste “castelo brilhante e enorme”. A descoberta surpreende-os e provoca um distanciamento tenso e… espinhoso.”

AVÓ – Roza Kolchagova, Bulgária, 2017, ani, 6’ | 14 de outubro, dom, 11h30

“Uma casa, uma árvore, uma avó – algures, numa terra distante. Um filme sobre pequenas coisas, sobre as coisas que amamos. Uma história tão verdadeira e autêntica que nos leva a pensar: o que perdemos ao longo das nossas vidas permanentemente ocupadas. E aquilo que sacrificamos ao nos mudarmos para uma grande cidade, em busca de uma vida melhor.”

BaDaBoo: A VIAGEM DE BARCO – Glenn D’Hondt e Karin Rhellam, Bélgica, 2017, ani, 7’ | 14 de outubro, dom, 11h30

“Bada, Dada e Boo embarcam numa aventura juntos! Brincando juntos, usam a sua imaginação para encontrar a solução para qualquer problema.”

BIG ENCONTRA UM TROMPETE – Dan Castro, Reino Unido, 2017, ani, 5’ | 14 de outubro, dom, 11h30

“Quando Big encontra um irritante brinquedo novo, Tiny não fica muito feliz. Uma carta de amor às crianças dos anos 80, à televisão e ao design dos anos 60, Big Finds a Trumpet é uma história simples e colorida, sobre amizade, música, brinquedos e um gigante com uma cara mesmo pequenina.”

DOIS ELÉTRICOS – Svetlana Andrianova, Rússia, 2016, ani, 10’ | 14 de outubro, dom, 11h30

“Todos os dias, um jovem elétrico faz o seu percurso com um velho elétrico pelas ruas da cidade.

Certo dia, o velho elétrico não aparece – e o jovem elétrico inicia uma demanda em sua busca. Será que terão oportunidade para uma última viagem juntos?”

ESPAÇO NEGATIVO – Max Porter e Ru Kuwahata, França, 2017, ani, 6’ | 14 de outubro, dom, 11h30

“Alguns rapazes criam elos com os pais a encestar bolas ou a falar de Chevrolets. Nós ligámo-nos pela bagagem. Com doze anos, se o meu pai estivesse ocupado, fazia-lhe a mala. A mãe tentou mas não tinha jeito. Ele chegava algures para trabalhar, abria a mala e enviava-me uma mensagem – “Perfeito”. Vinda dele, aquela palavra significava muito. O funeral foi terrível – o meu Pai deitado naquela grande caixa e eu a pensar, Olha para todo aquele espaço desperdiçado.”

O PASSARINHO E A LAGARTA – Lena von Döhren, Suíça, 2017, ani, 5’ |14 de outubro, dom, 11h30

“No alto de um carvalho o Passarinho aprecia as folhas verdes da sua casa. De repente, uma lagarta esfomeada planeia comê-las. O Passarinho consegue atrair o glutão. Na floresta, a raposa cor de fogo já os aguarda. Um lago com os seus perigos tem de ser atravessado. Eventualmente, a lagarta passa à fase crisálida. Sozinho, o passarinho começa o longo caminho para casa. Quando a raposa continua a sua perseguição, a lagarta parece ter sido milagrosamente transformada para ajudar o passarinho.”

TERRA SEM MAL – Katalin Egely, Hungria, Alemanha, 2017, ani, 4’ | 14 de outubro, dom, 11h30

“Ao longo da história, as pessoas sempre procuraram um lugar perfeito. Esta curta-metragem, baseada na mitologia guarani (Tierra Sin Mal), oferece um outro ponto de vista sobre o paraíso: e se o verdadeiro paraíso está dentro de nós e reside na harmonia e na unidade de tudo o que está vivo?”

4/dAAUoZR4fmSg85ZKrk8M70EOvQOg0yxF0W3HL4YjUm22rQ-pmEIxwYE